Quarta-feira, 21 de Janeiro de 2009

Voa, meu sonho...

 

 

Voa, meu sonho, voa sobre as planícies geladas,
Voa sobre as árvores mortas do Inverno,
Paira sobre a lonjura das belas noites de estrelas,
Nunca pares, continua a voar cada vez mais. 
 
 

Arde, minha saudade, como uma chama eterna,
Arde na escuridão onde tudo se apagou e foi há muito.
Eterna é esta saudade, é a vida, é a ousadia,
E o fogo que salta sobre o véu de cinzas.

Compreende que para quem nada conseguiu,
E junto à praia nunca repousou,
Não há morte para alta fogueira que ardeu,
Não há medida para as terras azuis da sua saudade.
 

O meu coração vive de saudade em saudade.
Sempre para desconhecida costa se volta –
A saudade de um poeta não obedece às leis do espaço,
A terra de sonhos não tem fronteiras.


BERTEL GRIPENBERG
(1878-1947)

 (imagens retiradas da net)

publicado por id às 16:12

link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De ónix a 21 de Janeiro de 2009 às 18:40
Lindo... e mesmo quando não queremos, a saudade bate-nos à porta !
De id a 22 de Janeiro de 2009 às 16:51
olá amiga,
é bem verdade,bate e entra!!!!!

Bjnho.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Sem as ver...

. Sorri...

. Bom dia Primavera!

. Hoje saí muito cedo...

. O que me dói...

. A tua eternidade.

. sonho

. Voa, meu sonho...

. Não perdi nada

. A neve caiu...

. Nada sei.

. Quem passou...

. O caminho...

. O canto do pássaro

. Essa lembrança...

. A Borboleta e a Flor

. O Mar

. A ti Mãe

. Orvalho

.arquivos

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

.links